terça-feira, 12 de junho de 2012

A "Biolência" dos Sócios da Prensa do Azeite

Ao fim de muito tempo a Irmandade das Teorias teve o primeiro contacto com sócios da Prensa do Azeite e realçar o pormenor deste sócio da prensa do azeite ser assumido. Sócio da prensa do azeite assumido é todo aquele indivíduo quer seja do sexo masculino ou feminino que demonstrem ser sócios da prensa do azeite.
Como está consagrado nos Estatutos da Irmandade das Teorias que um dos principais requisitos de incorporação na Irmandade é ser sócio anti Prensa do Azeite este primeiro encontro não correu muito bem. Passemos a descrever o “programa de festas”. A Irmandade das Teorias tinha ido “encher as covas” em “comunidade em comum” e ao regressar à base vinha no “boguinhas” de uma seguidora, a dita seguidora, outra seguidora, a Imperatriz do Milho e Sr. Presidente. Logo atrás vinha Sr. Visconde de Abade de Neive e a sua patroa. Numa paragem nos semáforos a seguidora pára lado a lado com a “lata” do sócio da prensa do azeite e ao passar a verde arranca deixando este para trás. Sr. Visconde de Abade de Neive como não é “home” de se ficar, vem ao de cima a sua veia de piloto “arrancado a escrever” ultrapassando o sócio da Prensa do Azeite e cola na traseira da seguidora da Irmandade. O dito sócio da Prensa do Azeite fica nervoso e vem atrás dos membros da Irmandade das Teorias. Quando estes estacionam, este estaciona atrás do “boguinhas” da seguidora e começa a acelerar para fazer barulho, coisa típica deste segmento de indivíduos, os seus “boguinhas” fazem barulho mas não saem do sítio. De repente sai do carro e vai começar a mandar vir com Sr. Visconde de Abade de Neive. De realçar uma frase proferida pelo sócio da Prensa do Azeite: “Para a próxima levo-te engalhado na lata. Não tenho medo nenhum de a capotar na tua frente”. De realçar esta “biolência". Entretanto Sr. Presidente já tinha tomado as devidas providências aproximando-se sorrateiramente para a beira dos seus sócios e do sócio da Prensa do Azeite. Por fim para finalizar em conclusão podemos concluir que são de uma elevada “biolência” estes indivíduos. Sendo que até escorregam no azeite uns dos outros.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

As Testemunhas de TCA: A Irmandade Puxa de Galões

Aí o regresso muito esperado de noticias da Irmandade de TCA, desta vez a Irmandade puxa de galões do seu estatuto. Para combater estes estatuto a Irmandade das Teorias aprovou os seus estatutos, mas não têm as regalias que têm os indivíduos que usufruem do Estatuto de TCA, tanto é que, já depois desta aprovação Sr. Presidente já está a "ser queimado" fortemente.
Mas voltemos ao que interessa as novidades no "Mundo de TCA". Primeiro de realçar que mais uma vez esta Irmandade anda na maré baixa. A1 o "Ministro dos Filetes", num teste em que tira um magnifico 10 redondo, sendo superado pelas individuas da Irmandade das Teorias, ao constatar este facto fica desolado e puxa de galões do estatuto de TCA. Na análise do dito teste, após insistência e preferência de patelas este consegue melhorar a sua nota sendo esta melhoria muito significativa sendo nada mais nada menos do que de 10 para 10,1 algo que deixou a "comunidade em comum" em estado de total admiração, primeiro por se tratar de uma "grande" melhoria e depois por conseguir subir a sua nota. Sr. Presidente ainda "armandou" umas patelas a ver se conseguia subir o seu 8 para 10 mas sem sucesso. Isso é natural não usufruí do Estatuto de TCA.
Outro elemento da Irmandade de TCA a puxar de galões foi Tony Charles "O Mais Antigo" em que este após um "téte à téte" com a respectiva professora consegue que esta pondere que os indivíduos com 7,3 possam ir ao segundo teste sendo a nota mínima 8, algo espectacular. Se fosse outro individuo estava completamente condenado a assinar contrato com o exame de recurso. Claro que os outros indivíduos só usufruem desta benesse para que Tony Charles "O Mais Antigo" possa usufruir também.
Por fim para finalizar em conclusão, podemos frisar que este Estatuto de TCA é mesmo o sonho de qualquer indivíduo.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

1ª Tainada de Campo da Irmandade

Ai está em meados de dois e dozes lá para perto do inicio do meio a Irmandade das Teorias organizou a Primeira Tainada de Campo da Irmandade. Após longa discução sobre o local ideal as autoridades competentes, nomeadamente, o Sr. Presidente e o Sr. Visconde de Abade de Neive, na qualidade de Vice-Presidente, decidem marcar a tainada na Franqueira. Devido ao constante tempo manhoso Sr. Presidente estava sempre a dizer: "Vai tchubere", o que deixava uma sócia e as seguidoras de rodilhão. Mas vamos indo que o S. Pedro não tive problemas urinários perente tal dia.
Numa primeira subida ao cimo do Monte da Franqueira ia Sr. Visconde de Abade de Neive no seu boguinhas acompanhado da sua patroa a Sr.ª Dona Viscondessa de Esporões e no banco traseiro o Sr. Presidente e a nova sócia da Irmandade. Num boguinhas atrás iam as duas seguidoras da Irmandade.
Estacionados os boguinhas em cima de quatro pneus vão dar uma volta, mostrar às sócias que não são da zona a beleza paisagística. Depois descem a pé até ao Castelo de Faria residência de antepassados longínquos do Sr. Visconde de Abade de Neive. Esta visita foi guiada por Sr. Presidente. No local existe uma edificação acastelada com vários muros consoante se subia até ao sopé onde restam as bases do que seria a torre de menagem e uma mesa em pedra para jogar uma cartada. Nesta viagem Sr. Visconde de Abade de Neive revelou o seu sonho erótico badalhoco. Mas passemos a descrever tal sonho. Sr. Visconde de Abade de Neive foi a uma macumbeira e esta diz que o seu piloto automático não disparava, mas este demonstrou À dita macumbeira o contrário.
Numa primeira descida tudo tranquilo outra vez. Depois trocam de boguinhas para ir buscar o comer para a tainada, pegando Sr. Presidente no seu boguinhas. Na subida para o Monte da Franqueira tudo tranquilo sempre em terceira. No local onde a Irmandade montou o estaminé para "encher as brocas" estavam uns sócios da prensa do azeite com música de carrinhos de choque. Sr. Presidente até proferiu o seguinte filete: "Sócio se formos buscar uns carrinhos de mão e andar-mos às castanhadas com esta música parece que tamos nos carrinhos de choque".
Na vinda para baixo os seguidores saem primeiro pois Sr. Visconde de Abade de Neive esteve a lavar as mãos depois de "mudar a água às azeitonas". Sr. Presidente teve carta branca para ir a estonar até colar na traseira do boguinhas das outras seguidoras. Mal teve oportunidade ultrapassou estas, indo sempre d'estouro novamente a cortar curvas em contra-mão. Já em terreno plano foi mostrar a Sr. Visconde de Abade de Neive um caminho para sacar fininhos onde entra a travão de mão a sacar um alto fininho, levando Sr. Visconde de Abade de Neive a proferir o seguinte filete: "Sócio eu vi a tua porta a ficar colada no muro. Que fino". De realçar que a nova sócia ao contrário de Piru Chato no Franqueira Pikes Peak não reclamou e ficou mesmo surpresa como Piru Chato conseguiu ficar assustada.
Depois decidem ir comer um gelado para acamar a tripa e fazem trocas de carros, Sr. Visconde de Abade de Neive pega na sua viatura com a sua patroa, Sr. Presidente continua na sua viatura com a nova sócia e uma seguidora queria vir para o carro de Sr. Presidente, sendo que este por consideração à nova sócia não "armandou boca para o barulho".
Por fim para finalizar em conclusão podemos dizer que esta Primeira Tainada de Campo da Irmandade das Teorias foi um sucesso e deu para recordar "manobras antigas".

sábado, 12 de maio de 2012

Teoria do Condutor d'Estouro e do Fininho - Parte VII

Aí está o regresso mais aguardado do que nunca, até por parte dos intervenientes destas façanhas, da saga da Teoria do Condutor d'Estouro e do Fininho, desta vez com o sétimo capítulo desta famosa saga.
Este regresso esteve comprometido pelo facto de suas excelências Sr. Visconde de Abade de Neive e Sr. Presidente andarem em PPG e terem ganho amor aos seus boguinhas. Mas de realçar deste regresso se ter dado pelo facto de estes individuos terem que ir a uma loja daqueles moços que tem os olhos em bico comprar um baralho de cartas, pois Sr. Presidente esqueceu-se deste elemento fundamental da Irmandade das Teorias.
Mas adiante, passemos a descrever os promenores. Desta vez ao contrário dos já tradicionais picanços entre Sr. Visconde de Abade de Neive e Sr. Presidente, o primeiro indivíduo assume as contas da casa na posição de "carro zero" sempre no seu melhor a "carbonar", desta vez foi Sr. Presidente que assume tais despesas. Entra logo a estonar e logo no primeiro gancho sacou um travão de mão. No seguimento deste picanço encontra um enconas na sua frente o que o deixa nervoso sendo obrigado a sacar alto fininho a uns moços que estavam a descarregar um camião no meio da estrada. No seguimento deste fino Sr. Visconde de Abade de Neive que não é "home" de se deixar ficar nestas manobras responde também com alto fininho aos ditos moços. Tal acontecimento levou os moços a fechar o trânsito no local, facto constadado pouco tempo depois quando Sr. Presidente tenta passar no mesmo sítio mas tem o trânsito cortado, sendo obrigado a ir para caminhos que o orbigam a andar d'estouro.
Depois destes fininhos ficaram com via livre e com carta branca para ir a "estonar". De realçar que a individua que substituiu o co-piloto de Sr. Presidente por este ter recusado o convite visto tar ocupado, ficou que nem se lhe cabia um feijão miúdo no dito cujo.
No regresso à base Sr. Visconde de Abade de Neive tive a magnifica ideia de vir por caminhos de vacas perto da casa de Tio Manel do Kubota onde passavam as orelhas do boguinhas e mal. De realçar que neste caminho vinha Sr. Visconde de Abade de Neive em posição de "carro zero" e logo atrás Sr. Presidente em segunda às 4000 rotações em posição de disparo caso fosse necessário reagir.
Por fim para finalizar em beleza culminam um picanço com uma seção de travões de mão artesianos.
De realçar que após este regresso Sr. Presidente prometeu mais picanços e pionadas "perente a comunidade em comum".

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Teorias: O Regresso

Aí está o mais esperado regresso à carga do blog das Teorias após um longo período de inatividade regressa para celebrar um acontecimento marcante da Irmandade das Teorias. A Irmandade das Teorias foi passar uns dias em comunidade em comum para participar nas altas festevidades da Queima das Fitas do IPCA de Dois e Doze.
A destacar alguns acontecimentos, nomeadamente alguns, sendo os mais flagrantes os seguintes, entrada solene de uma individua apelidada por Sr. Visconde de Abade de Neive de Patroa do Sr. Presidente na comunidade de sócios, o constante andar de bentas e descoberta da veia de el pinador de Sr. Presidente da Nassa, Safari Picanço Cup, constante falamento de "poema", a dança de música de mil nove e sessentas por parte do Sr. Presidente em picanço com outras duas individuas, a estreia do Sr. Presidente a encher as covas com red fish, a estreia do Single "Nassa: Ai se eu encharco", entre outros.
Antes de passar aos promenores, so referir que foi descoberto que as teorias são obra de um osso que Sr. Presidente tem saliente na zona do caco da moleira. Sr. Visconde de Abade de Neive "inté" relatou que o individuo em causa deve ter enchertado uma castanhada de uma frigideira em tal local.
Mas siga a marinha. A entrada da indivídua que é apelidada por Sr. Visconde de Abade de Neive de Patroa do Sr. Presidente entrou para a comunidade de sócios graças a ter encharcado "aqueles lances de bola parada dentro da área" de Safari e Vodka preta. Dado o estado de cebo e falta de traços que marquem tal "personage" não lhe foi ainda atribuído o "nome de sócia", algo do seu desagrado.
Mas o momento best of foi a descoberta da veia de El Pinador do Sr. Presidente da Nassa, por parte da Irmandade das Teorias. Tal começou a ser descoberto logo no primeiro dia das festevidades em que Sr. Presidente da Nassa começa a dizer a todas as patroas que passam por ele "Oi! Tudo legal? Queres que fale espanhol?". Numa longa viagem de regresso à base foi descoberto a sua queda pela individua apelidada por Sr. Visconde de Abade de Neive de Patroa de Sr. Presidente, algo que deixou a dita individua perplexa e nada agradada com a ideia. Mas esta veia pode ser comprovada pelo acontecimento do último dia de festividades em que Sr. Presidente da Nassa em que este vê uma patroa a entrar numa porta do prédio e assobia. Tal assobio deixou a dita patroa nervosa que desapareceu d'estouro sem deixar rasto. E nesse mesmo dia pega no telemóvel e começa a apontar a lanterna a uma patroa, que imediatamente muda de posição.
Outro acontecimento foi o Safari Picanço Cup, em que em menos de meia hora secou uma garrafa de Safari. Neste picanço Sr. Visconde de Abade de Neive fazia "traçadinhos" manhosos pois para ele encharcava bem de safari e para os sócios encharcava pouco safari, mas adiante.
Foi descoberta a veia de arruaceira de uma individua da Irmandade, sendo que perante tal facto Sr. Visconde de Abade de Neive profere o filete que passamos a citar: "Tinha-te como uma santa, mas depois disto esquece".
Foi ainda descoberta veia de dançador de Sr. Presidente. Este colocou de música ambiente, Twist e demonstrou como se dança tal estilo musical. Toda a restante comunidade em comum ficou de beiços caido com tal show de Sr. Presidente. Depois dançou sincronizado com a Sra. Viscondessa de Esporões e a nova membra da comunidade dos sócios, nesta altura já apelidada de Tininha do Milho, pelo seu penteado.
Por fim para finalizar em conclusão, este acontecimento marca uma nova era na Irmandade das Teorias e friza a união quase intocável desta Irmandade de gema de raíz.

domingo, 29 de janeiro de 2012

As Testemunhas de TCA: A Maré Baixa

Como não podia deixar de ser esta nova teoria sobre As Testemunhas de TCA vai contar novidades bombásticas do "Mundo de TCA" "perente a comunidade em comum". Desta vez são vários os acontecimentos a relatar estando em destaque a maré baixa da comunidade de TCA em geral e em particular de Tony Charles "O Mais Antigo".
Comecemos pelo particular, isto é, ou seja, a maré baixa de Tony Charles "O Mais Antigo". Dada a sua constante maré baixa e consequente má imagem transmitida pela gestão de topo da Comunidade de TCA, a restante gestão de topo decidiu congelar os seus privilégios de "Mais Antigo" sendo despromovido a condutor oficial de Maioral "O Indiano" e de uma das disciplas. Tal facto levou Tony Charles "O Mais Antigo" a andar de "gaitas afiadas".
Mas esta razia não afecta só Tony Charles "O Mais Antigo" afecta também A1 "O Ministro dos Filetes" e A3, estes dois amores predilectos. No que toca ao primeiro indívidos no que toca a notas inferiores a 16 não é para ele. Dada altura começou a roncar e a pedir mais de 15, parecia um puto a pedir um brinquedo novo à sua "velha". Mas isto foi gravissímo na disciplina da Primeira Dama em que teve um extraordinário 10 redondo. Pensa-se que tal nota provocou um desgosto de tal forma no indivíduo que ele irá alistar-se nos fuzileiros como técnico de engrachamento de botas.
No que toca a A3, tal maré baixa não parece afeta-lo muito, visto que, tem sido visto muito alegre e certo dia o Sr. Presidente recua para tal individualidade passar com o seu "machibombe" série 1 acompanhado da sua vitelita e este agradece levantando a mão e rindo-se.
Mas segundo fonte ultra seguríssima Maioral "O Indiano" já anda a tentar solucionar tal problema. Para isso nos inicios de dois e doze tem falado vastas vezes para uma sócia dos Pensadores. Estas tentativas de aquisição entre rivais pode ser comprovado por um acontecimento num teste de Sadam "O Cangalheiro" em que o Sr. Presidente foi convidado a fazer teste mesmo depois de carimbar a sua passagem a recurso, o sonho de qualquer um, mas adiente. Como é de costume os TCA's nunca dizem nada a ninguém, mas quase que "dão o cu" para poder copiar pelos outros. Ora Maioral "O Indiano" estava atrás de duas sócias dos Pensadores e logo na fila da frente, o Sr. Presidente como convidado VIP. Ora Maioral "O Indiano" começa a meter conversa com a Srª. Viscondessa para a deixar copiar por ela e pela outra socia. Como o Sr. Presidente ouve a conversa manda logo uma "broa" ao inimigo que passamos a citar: "Se quiseres, como não estou a fazer teste a valer, ela passa pra mim as respostas e eu mando aí para trás num aviãozinho". Mas Maioral "O Indiano" já foi mais vezes vítima de gozo por parte do Sr. Presidente. Ora uma altura Maioral "O Indiano" pergunta ao Sr. Presidente o que deveria estudar para um teste e como o Sr. Presidente não perde uma oportunidade de dar gozo aos TCA's diz-lhe: "Vou estudar tudo! Já viste se não estudo uma coisa e sai no teste?"
Por fim para finalizar em conclusão podemos dizer que a Irmandade de TCA tem levado um banho dos Pensadores e seus sócios. AHAHAH!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Sadam o Cangalheiro: "Indeção" Casamenteiro de Santa Cona do Assobio

Aí está o que era previsto por muito poucos ou quase ninguém, o regresso de Sadam o Cangalheiro, desta vez numa "indeção" Casamenteiro de Santa Cona do Assobio. Neste regresso Sadam o Cangalheiro apareceu com um novo "look" sem o seu bigodinho místico e com um novo estilo no capacete. Diga-se de passagem que nos quase fins de dois e onze deu a conhecer a sua veia de desportista ou aparente dada a sua fatiota desportiva "perente a comunidade em comum". Ao que parece esta súbita mudança de estilo de Sadam o Cangalheiro deveu-se ao facto de Sadam o Cagalheiro deixar o negócio dos estojos de pinho e vai-se dedicar em conjunto com Morto Vivo aos Casamentos de Santa Cona do Assobio.
Como Sadam o Cangalheiro é um visionário e é o chamado "fode a arte" no campo dos negócios tanto é que até existe a chamada contabilidade normal e a contabilidade à Sadam o Cangalheiro. Mas para não ter prejuizo com a mercadoria do seu antigo negócio uma agência de viagens de ida sem volta, Sadam e o seu sócio Morto Vivo decidiram levar os noivos dos seus casamentos em estojos de pinho motorizados com motor 2.5 TDI à igreja para dar o nó. Assim caso dê para o torto o negócio das tainas de casamento Sadam pode sempre voltar ao ramo das viagens de ida sem volta, para a Quinta dos Caladinhos. Claro que este sucesso dos "Estojos de Pinho 2.5 TDI" vai ser obra da veia de biscateiro de Morto Vivo e do seu andamento estilo enconas.
Mas vamos descrever as exéquias dos Casamentos de Santa Cona do Assobio. Ora como já foi referido em cima os noivos vão nos "Estojos de Pinho 2.5 TDI" e os seus convidados atrás em procissão nos seus boguinhas. Nesta fase Morto Vivo vai à frente com um pirilampo no tabliê estilo rámona e a tocar gaita de beiços a abrir caminho. Chegada à igreja Sadam o Cangalheiro faz as suas rezas e respectivo casamento. No fim vai tudo d'estouro encher as brocas. Nesta fase Morto Vivo assume o comando da segurança vestindo uma camursine de cerimónia e respectiva gravata "vermelho tinto". Para evitar multas no fim do casamento por causa da Nassa Sadam o Cangalheiro já falou com a sua chefa a Primeira Dama para pedir protecção jurídica "perente a rámona".
Por fim para finalizar em conclusão esta parceria vai ser um sucesso absoluto.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

O Morto Vivo: "Indeção" Mergulhador - O Projecto da Piscina Parte II

Aí está nos fins de dois e onze foi lançada a primeira pedra do grandioso projecxto da piscina para Morto Vivo treinar o "Mergulhe Artesiano" e em princípios de dois e doze começaram a todo o gasómetro as obras.
Devido a este facto já foi vedada toda a área envolvente ao local da piscina. Mas ao contrário do que foi anunciado no projecto em teoria anterior já não vai ser construída a bancada gigante devido a pressões d'um grupo ambientalista que diz que iriam ser construídos muitos elementos em cimento perturbando o normal crescimento do milho biológico de Tio Manel do Kubota e podia provocar efeitos secundários em algumas aves raras existentes na zona envolvente.
Devido a isto e ao facto de Morto Vivo se queixar que devido às pequenas dimenções da piscina tal como foi anunciada não podia puxar mais do que uma segunda nas suas novas barbatanas RS2000 Turbo V12 de 500cv, a piscina aumentou consideravelmente as dimensões. Vai ser adicionado um outro edificio, pensa-se talvez que seja a sede do "Clube de Pesca de Sargaço & Mergulhe Artesiano" ou a sede da Federação Internacional de Mergulhe Artesiano (FIMA), ou ainda uma espécie de residencial para os fãs dos mais remotos lugares do Mundo pernoitarem na sua passagem por tal espétaculo da Natureza e "Mergulhe Artesiano".
Segundo o que conseguimos apurar junto do consórcio que vai montar o MacNassa no campo de Tio Manel do Kubota, as obras do MacNassa só serão iniciadas lá pra fins de dois e dozes meados de dois e treze.
Desde o lançamento da primeira pedra com altos magnatas e altas individualidades evento no qual morto vivo trabalhou de segurança que Morto Vivo renasceu, ficou mais vivaço. Mas podemos comprovar tal "aquetebidade" pelo facto de Morto Vivo no dia atrás referido andar sempre com as mãos atrás das "nalgas" com o peitoral para fora e com uma camursina nova desapertada e vestida "à moda do foge que te fodo" para mostral o seu cabedal.
Por fim para finalizar em conclusão, três coisas, primeiro com o inicio destas obras deixa de ser possível treinar pionadas no local e segundo agradecer aos patrões de Morto Vivo que vão tornar o seu sonho "desde puto" realidade, Barbatana d'Ouro do Mergulhe Artesiano.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

As Testemunhas de TCA: O Estatuto de TCA

Ora como é de costume quando sai uma teoria sobre estas excelências acontece sempre algo extraordinário no "Mundo de TCA". Desta vez não foi diferente, segundo as fontes ultra seguras já referidas em teorias anteriores sobre estas "aves raras" do "Mundo Real", tais excelências do campo do engrachamento de pessoal têm um estatuto especial.
Mas passemos a descrever tal acto de "destingação destes nabos perente a comunidade em comum". Na turma onde estes se inserem existem dois estatutos o do aluno e o de TCA. No estatudo do aluno segundo o que outra fonte seguríssima conseguiu apurar, e passemos a citar tal fonte de alta confiança: "No estatuto do aluno tem la um artigo nao sei onde que diz que se nao entregar o trabalho solicitado até à data tá fudido e nem precisa de ir a recurso pk já tá reprovado.....". Passemos também a sitar o que tal fonte nos diz sobre o estatuto de TCA: " está nos estatutos no artigo qualquer coisa que se um TCA se atrasar a entregar o respectivo trabalho e toda gente tiver entregue, quem entregou primeiro tem que esperar ate o TCA entregar......".
Podemos mesmo comparar este estatuto a altos membros da máfia italiana ou mesmo da máfia russa. E de realçar ainda que estes estatutos encontram-se guardados nos cofres mais profundos do IPCA.
Mas tudo começou quando começaram a puxar de galões "perente" Miss Buço Dois e Onze e depois de conseguirem a aproximação a sua excelência a Primeira Dama, tornaram oficial este estatuto, tanto é, que a estes indivíduos foi-lhe aumentado o prazo de entrega de trabalhos a Primeira Dama. Isto deve ser por eles serem muito ocupados a engendrarem planos para "fuderem a restante comunidade em comum" e não têm tempo para estas coisa básicas como seja fazer um trabalho.
Depois claro como o próprio "Maioral o Indiano" afirma é difícil descer a um nível tão baixo como o do Estatuto de Aluno. Estatuto de TCA é uma coisa muito à frente, coisa atingivel apenas por poucos ou quase nenhuns individuos do "Mundo Real".

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

O Morto Vivo: "Indeção" Especial de Natal

Ora como Morto Vivo já é considerado por muitos o próximo Barbata d'Ouro do "Mergulhe Artesiano" e por conseguinte considerado uma lenda, é já considerado um famoso. Por isso fomos obrigados a publicar mais uma teoria sobre esta alta individualidade.
Nesta última teoria vamos descrever as suas façanhas natalícias, após grande investigação sobre tal individualidade.
Como Morto Vivo está de férias e pelo facto da "auga" do mar estar muito fria não pode treinar o "mergulhe artesiano", podendo provocar uma lesão, por isso Morto Vivo dedica-se a outras "aquetebidades" nomeadamente natalícias.
Antes de começar e para tudo correr pelo melhor faz umas rezas manhosas no seu dialeto a Santa Cona do Assobio. Ele é bastante devoto de tal santa, que até anda com uma imagem sua colada no vidro traseiro do seu "boguinhas".
Depois destas rezas, Morto Vivo assume o comando das operações na cozinha, sendo responsável pelo recheio do piru. Ora Morto Vivo abre as "nalgas" ao piru, calça as barbatanas nas mãos para fazer de pás e "bóta calor" a encher o piru.
Depois de tudo controlado na cozinha, Morto Vivo vai ensaiar a sua coreografia para o seu "Christmas Mergulhador Show" e para depois na passagem de ano abanar o capacete. Como não podia deixar de ser o seu show envolve música de Mickael Jackson. Neste "Christmas Mergulhador Show" Morto Vivo dança o famoso "moon walk" de Mickael Jackson numa "indeção" Mergulhador, ou seja, de barbatanas, façanha nunca antes vista. Faz também algumas manobras erótico badalhocas.
Na noite de 24 de Dezembro quando faltarem meia hora para a meia noite e um quarto menos vinte, Morto Vivo desaparece e vai vestir o seu fato de Pai Natal. Depois ao faltarem 15 minutos para a meia noite e um quarto em ponto aparece "perente" os putos a distribuir presentes e "Cheques Brinde do MacNassa".
Por fim para finalizar em conclusão Morto Vivo é um fenómeno da natureza.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

As Testemunhas de TCA: Os 10 Mandamentos

Segundo o que conseguimos apurar junto de fonte segurissíma mais segura que as da CIA nos "states" e do MI6 na "Anglaterre", Tony Charles o Mais Antigo auto proclamou-se profeta de TCA. Ao que se conseguiu apurar apareceu-lhe em sonhos Fanã o Deus de TCA e transmitiu-lhe os Dez Mandamentos de TCA e proclamou-o Profeta de TCA.
Os mandamentos transmitidos são os seguintes:
1º Mandamento - Honrar e respeitar Tony Charles o Mais Antigo acima de qualquer individuo;
2º Mandamento - Apoiar e rir sempre como Maioral o Indiano;
3º Mandamento - Ser especialista em dar graxa aos professores;
4º Mandamento - Honrar e afiambrar Miss Buço Dois e Onze;
5º Mandamento - Mandar patelas a todos os individuos que sejam anti TCA;
6º Mandamento - Passear o cão sempre que possível em horas de aulas de reposição para meter nojo;
7º Mandamento - Fuder quanto mais puder os individuos anti TCA, em especial os Pensadores Contemporâneos e seus sócios;
8º Mandamento - Honrar e respeitar os Mandamentos de TCA;
9º Mandamento - Honrar e respeitar a vitela de A3 bem como todas as disciplas;
10º Mandamento - Ligar sempre no dia 24 de Dezembro a todos os professores a dar as Boas Festas.
Depois de iluminado por tais leis sagradas de Fanã o Deus de TCA, Tony Charles o Mais Antigo caiu abaixo da cama e acordou. Pegou logo d'estouro na sua rámona e foi anunciar aos restantes seguidores da crença de TCA a boa nova. Como foi na altura do Natal ligaram logo para Miss Buço dois e Onze para cumprir o 4º Mandamento e para Primeira Dama para tirar mais de 15 no seu teste, visto que, para A1 15 é uma nota fraca, ficando de bentas e a pedir como uma criança de 3 anos.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

MacNassa

O MacNassa surge no seguimento do desenvolvimento do projecto aprovado na piscina de Morto Vivo. Como já foi descrito em teoria anterior foi criado nas imediações um parque para tainadas para os fãs que se desloquem para ver o morto-vivo fazer "mergulhe artesiano" poderem encharcarem as velas e encher as brocas.
MacNassa irá ser montado por um consórcio que adquiriu parte do terreno de Tio Manel do Kubota. Tal facto deixou Magnata do Milho quase de molho, visto que teve que reduzir os seus serviços a Tio Manel do Kubota. Tanto é que Magnata do Milho até deixou a sua camursina de fato e gravata à PSD em casa, trocando por uma fatiota mais andadeira.
MacNassa vai tere muitos menus, nomeadamente alguns, sendo que irão haver menus consoante as fachas etárias, sendo nomeadamente infantis, iniciados, juvenis, juniores, séniores e velhadas.
Para os escalões mais novos irá existir o menu Happy Nassa em que será composto por pataniscas ou rissóis de bacalhau acompanhados de um bagacinho sem álcool.
Para os escalões mais velhos existem grandes menus sendo eles, Pata Nassa o menu para apanhar a nassa em que por "dois contos" o cliente tem um costeletão e um garrafão de 5l de vinho maduro. Tem também o menu Big Nassa em que é servido um canecão de cerveja acompanhado de febras no espeto. Tem também o menu Chicken Nassa, em que é servido um par de frangos caseirinhos assados pelo Tio Xico acompanhado d'um tinto verde "Muralhas" de Monção.
Mas o menu dos menus que não recomendamos a ninguém é o Piru Nassa, em que o MacNassa paga ao cliente que quiser o menu, visto que é composto por um piru xato e uma bebida manhosa, que xeira a "mijo" de gato quem sabe de Toninho Patanisco.
Por fim para finalizar em conclusão aproveitamos para dar a conhecer as novas veias de biscateiro de Morto Vivo. São elas: pintor de paredes, decorador de interiores, nomeadamente decoração de Natal, entre outras.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Teoria do Condutor d'Estouro e do Fininho - Parte VI

Nos fins de dois e onze, lá pras alturas do Natal, reabriu a época da condução d'estouro e do fininho. Como é de costume são proprietários destas façanhas o Sr. Visconde de Abade de Neive e o Sr. Presidente. Como é costume o Sr. Visconde vai na posição de "carro zero" "a dar o corpo as balas" posição que desempenha ao mais alto nível barrendo tudo, sendo que neste último picanço fiz um fininho do mais alto nível sempre a estonar. O Sr. Presidente estriou a sua nova viatura nestas andanças, tendo sempre no de cima a sua veia de sacador de fininhos. Como levava o seu "boguinhas" mais cheio e como tem menos tiro que o Sr. Visconde de Abade de Neive, não conseguiu acompanhar da melhor forma o Sr. Visconde de Abade de Neive. Para compensar fiz uma das manobras "very best of" da condução d'estouro e do fininho, um grande travão de mão. Mas não foi um travão de mão qualquer. Ora passemos a descrever a manobra. Ia o Sr. Visconde de Abade de Neive com a Srª. Viscondessa a co-piloto e outra individua de boleia a estonar e deu um xeirinho ao travão de mão pelo facto de se aperceber que no local tinha uma pequena depressão que iria por o carro a torcesse todo. Como o Sr. Presidente ia todo "maluque" atrás do seu sócio entra no dito local a carbonar praí a 50km/h ou 60 km/h numa quarta e saca travão de mão longo. Ora a entrada d'estouro aliada à depressão e à areia do local, o carro fiz um bailado, sendo que o carro entra todo de lado na rua em que entraram. Como o carro ia na frente com o Sr. Presidente a piloto, o Sr. Presidente da Nassa a co-piloto, e umas patroas atrás a dançar com a guinadela fizeram a viatura perder momentaneamente o controlo total, sendo o piloto obrigado a largar a rosca para poder regularizar a marcha sem incidentes. Como é de costume quase sempre estas manobras d'estouro são realizadas a caminha de tainadas.
No fim do enchimento de brocas as patroas assumem o comando das viaturas, sendo que a que comandou a viatura do Sr. Presidente foi estreia absoluta no controlo da viatura. Como é de costume a Srª. Viscondesse arrancou logo d'estouro na viatura do Sr. Visconde de Abade de Neive. Para se redimir a patroa que pega no carro do Sr. Presidente saca alto fininho, com as coordenadas cantadas pelo Sr. Presidente.
Por fim para finalizar em conclusão foi uma boa abertura de temporada da condução d'estouro e do fininho.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Teoria do Piru Xato

O piru xato é toda ela uma espécie rara de piru. Esta especie de piru é uma espécie de piru que assenta no prato que é uma maravilha. Na parte das bordas do cu é alto sendo axatado na outra ponta, daí ser chamado de piru xato.
Mas este piru provoca efeitos secundários na moleirinha das pessoas que consomem esta ave rara.
Esta ave rara apareceu pela primeira vez nas Mercearias Paciência, ali pros lado de não sei d'onde, perto de Santa Cona do Assobio. O piru xato, é o chamado todo o terreno no campo da comezaina, come milho, arroz, maça, ovos à moda do foge que te fodo, tremoços, azeitonas, ect. Quando este tem necessidade de "armandar uns farpões venenosos", vai "arrea-los" junto dos galos e culpa estes do bedum.
Mas antes deste chegar às bancas das Mercearia Paciência ele vive no seu habitat natural, "num é?". Nesta curta vida no seu habitat natural pensa-se que este piru xato é um bocado desarrumado e instável na convivência com os seus familiares e companheiros de capoeira.
Mas um estudo profundo, mas tão profundo, que quase bateu nas bordas do cu do piru xato, revelou que este piru faz macumba. Pensa-se que este piru tem um intelecto acima da média dos restantes pirus. Por isso oferecesse uma recompensa choruda a quem o levar consigo.
Pensa-se também que devido à personalidade deste piru aliada ao seu poder de macumba, os gatos pretos andam refugiados e de "gaitas alerta".
Uma sociedade de contra macumba pensa oferecer este piru xato junto com a barbatana d'ouro do "mergulhe artesiano" a Morto Vivo que é apontado por todos como o próximo barbatana d'ouro de "mergulhe artesiano". Mas pelo facto de prevenir a possibilidade do piru xato ser correio e voltar este será afogado no acto da entrega.
Por fim para finalizar em conclusão não é aconselhável a ninguém o consumo d'esta espécie rara de piru.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

O Morto Vivo: A Nova Veia de Biscateiro

Depois de Morto Vivo ter ficado a conhecer a piscina que o levará a ganhar a barbatana d'ouro nos jogos olímpicos e numa lenda do "mergulhe artesiano", este vai acrescentar mais uma "aquetebidade" ao seu vasto leque de "aquetebidades" de biscateiro. Esta nova, não é nada mais nada menos que colocar um meco no eixo de uma rua do seu local de trabalho. Mas passemos a descrever toda a envolvente do seu local de trabalho. Lá existe uma rua que tem uma ligeira curva e logo seguido à curva tem uma fila de mecos a separar os dois sentidos. À tempos atrás tinha mais um meco junto à curva o que tornava mais apertada a entrada de um boguinhas e no caso de ser d'estouro mais dificil mas ao mesmo tempo mais alucionante. Mas devido ao facto de ter de passar lá um "autobuchas" foi retirado este meco.
Como o Sr. Presidente e o Sr. Visconde de Abade de Neive entravam lá d'estouro e de fininho, com a retirada do primeiro deixaram de entrar lá d'estouro porque segundo eles com a retirada do meco fica muito fácil a entrada d'estouro no respectivo local. A relembrar que o fininho referido na "Teoria da Ilusão do Piloto" foi feito neste local.
Mas a "comunidade em comum pergunta o porquê de Morto Vivo ser o escolhido para tal "aquetebidade". Muito fácil sócio!
Um dia destes que passou de fins de dois e onze, o Sr. Presidente ligou para o Padrinho do Sr. Presidente da Nassa que é um dos patrões de Morto Vivo e grande amigo da Primeira Dama a revelar a sua indignação pela retirada do referido meco. Para solucionar tal problema e não pertubar a circulação do "autobuchas" sugeriu que o Sr. Presidente e o Sr. Visconde de Abade de Neive quando fossem lá passar ligavam para Morto Vivo e este deixa o "mergulhe artesiano" e vem colocar o dito meco.
Mas a chamada para Morto Vivo deverá ser realizada pelo menos uma hora antes da hora prevista de passagem no local, visto que, devido ao facto da multidão de fãs em volta de Morto Vivo aliada ao seu andamento de enconas, levará a uma demora na colocação do meco.
Para evitar qualquer incidente Morto Vivo terá guarda pessoal e será montada uma cabina para Morto Vivo não se assustar com a condução d'estouro. Podia esse susto provocar a queda de Morto Vivo na via de circulação, dando-se uma valente castanhada e respectiva lesão gravíssima de Morto Vivo.
Enquanto Morto Vivo coloca o meco as suas barbatanas serão expostas para a multidão de fãs lhe prestar homenagem e culto.
Por fim para finalizar em conclusão, podemos concluir que Morto Vivo é um verdadeiro "fode a arte".

domingo, 4 de dezembro de 2011

Teorias: A retroespectiva


Quatro de Dezembro de Dois e Dez, um dia histórico na comunidade da blogosfera. Uma "dupla de três" indivíduos decidem criar um blog para dar a conhecer "perente a comunidade em comum" as suas Teorias baseadas em factos verídicos. Como eles próprios dizem Luís de Camões conta nos Lusíadas a história de Portugal em verso e o blog conta a história de um conjunto de indivíduos em Teorias.
Mas tudo começou num derby entre Tony Carreira & Paco Bandeira vs Testemunhas de TCA os grandes rivais do blog. Deste derby e das magnificas ideias de Tony Charles nesta altura ainda o Maioral das Testemunhas de TCA, nasceu a primeira de muitas teorias já exibidas neste blog, a Teoria do Bacalhau.
Depois desta teoria segue-se um conjunto de teorias sobre técnicas artesianas de jogar às cartas, visto que, é o passatempo número um desta comunidade do blog.
Depois segue-se uma vasta gama de Teorias sobre altas individualidades como seja, O Grande Magnata do Milho, o Magnata do Bigode, o Magnata da Carne, a Forasteira, actual Viscondessa de Esporões, alta individualidade com grande ligação à presidência do blog, sua excelência o Grande Visconde de Abade de Neive, dignissímo Vice-Presidente deste Blog, o Grande Morto Vivo, mergulhador artesiano, Sua Excelência o Sr. Presidente da Nassa, dignissímo Secretário-Geral deste blog, Sadam o Cangalheiro, Primeira Dama e Miss Buço Dois e Onze.
Lamçam também teorias a relatar alguns acontecimentos e festividades em que participaram nomeadamente alguns como por exemplo, os Congressos da Presidência, 1º Congresso de Campo Interconcorrencial, 1ª Digressão ao "Estrangeiro", etc. Pelo caminho descobrem também a sua veia de biscateiros.
Mas a par destas Teorias de gema de raíz, andaram sempre duas sagas: "Teoria do Condutor d'Estouro e do Fininho" e "As Testemunhas de TCA". A primeira saga conta com o impressionante número de cinco Teorias mais uma o "Franqueira Pikes Peak Downhill" que devido ao seu teor confere perfeitamente "perente" esta saga, fazendo o somatória de um poker e um bis de Teorias. Esta saga conta as façanhas de de pilotagem das altas individualidades responsáveis pelo blog, falamos claramente do Sr. Visconde de Abade de Neive e do Sr. Presidente, "amvos os dois" "especialistes" na condução d'estouro e do fininho recorrendo sempre que necessário ao travão de mão para auxilio ao estacionamento ou realizar curvas apelativas para o seu uso.
A saga "As Testemunhas de TCA" nasce da rivalidade da presidência do blog com esta e das maroscas realizadas por tal Irmandade. Conta a sua constituição desde a gestão de topo, até aos apóstolos, passando também pelos disciplos e mais recentes leais seguidores. Aproveitamos desde já para cantar uma notícia em primeira mão, A1 o Ministro dos Filetes, segundo fonte segurissíma, ligou a um proferssor no dia de Consoada a perguntar algo sobre um teste. Algo espetacular estas ligações na altura do Natal.
Mas ao longo deste ano também houve lugar a lançamentos de individuas no mundo da blogosfera. Os Pensadores Contemporâneos lançaram as Rainhas da Borga. Tal acontecimento levou o Sr. Presidente a proferir o filete que passamos a citar: "Nós fomos o Júlio Isidro das Rainhas da Borga".
Mas ao longo deste ano de existência não foram só lançadas Teorias, foram também recolhidas frases proferidas por altas individualidades, as famosas "frases célebres" e recolhidos "termos técnicos".
Espera-se a continuidade deste blog de gema de raíz, com novas Teorias sobre tudo e mais alguma coisa.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

O Morto Vivo: "Indeção" Mergulhador - O Projecto da Piscina

Aí está, como tinha sido anunciado em teoria anterior, a criação de uma piscina para Morto Vivo treinar o "Mergulhe Artesiano". Foi agora aprovado o projecto e dado a conhecer em primeria mão "perente" os Pensadores Contemporâneos que estão sempre na linha da frente na recolha de informação confidencial e explosiva, tal projecto da mais alta envergadura.
Mas passemos a descrever ao promenor os promenores do projecto.
Primeiramente como tinha sido pensado, a piscina seria o chamado "dois em um" servia para Morto Vivo treinar o "mergulhe artesiano" e ao fazer bombas a "auga" que saltaria para o campo de Tio Manel do Kubota regaria o seu milho. Tal utilidade foi posta de parte, pelo facto de Magnata do Milho ter andado com as "bentas de fudido" e fazer queixa de tal projecto. Este facto não interfere em nada nas bombas de Morto Vivo, visto que, vai ser feita uma caixa em acrilico transparente a envolver a piscina para evitar que a "auga" salte para o milho de Tio Manel do Kubota. Tal facto deixará que Magnata do Milho continue a prestar serviços a Tio Manel do Kubota. E claro que a caixa em acrílico serve também para salvaguarda Morto Vivo do seu público, visto que, prevê-se que em menos de um ano tal acontecimento se torne num ponto de romagem diário para ver as façanhas de Morto Vivo.
Em segundo, será feito nas emediações um parque para tainadas, para as multidões que irão diariamente "besualezare" tal "aquetebidade" possam "encher o bucho" e "encharcar as velas".
Irá ainda ser criado um parque de estacionamento subterrâneo para Morto Vivo deixar a sua viatura em modo de estacionamento artesiano, "à moda do foge que te fodo", salvaguardada de actos de violência e respectivo "estroncamento" da viatura.
A restante área envolvente não sofrerá qualquer alteração, visto que, terá que garantir o funcionamento das "aquetebidades" até agora lá desenvolvidas. Irá ser colocado no local música ambiente de Michael Jackson. Mas a "comunidade em comum" pergunta o porquê da música ser exclusivamente de Michael Jackson. Muito fácil de explicar sócio.
Primeiro porque Morto Vivo é apelidado pela "comunidade em comum" de Michael Jackson e segundo pelo facto de se for colocada uma música demasiado de rodilhão irá afectar a moleirinha de Morto Vivo, dado que ele está habituado a andar com tranquilidade e a música de rodilhão poderia acelerar a moleirinha de Morto Vivo e este falhar no seu "Show de Mergulhe Artesiano".
Por fim para finalizar em conclusão que este projecto será um dos melhores dos últimos anos a ser realizado em prol do "mergulhe artesiano".

terça-feira, 22 de novembro de 2011

O Magnata do Milho: o Regresso

E aí está o tão esperado regresso do Grandioso Magnata do Milho. Nesta segunda teoria sobre esta alta individualidade das contas e dos sistemas de rega, Magnata do Milho regressa um pouco diferente do normal, isto é, ou seja, o chamado, andar com "as bentas de fudido".
De realçar que nos últimos tempos Magnata do Milho anda muitas e determinadas vezes com a sua camursina de fato, com a sua calça clássica sempre "a regar milho" e com a sua gravatinha "vermelhe".
Como Magnata do Milho anda com "cara de fudido" a "comunidade em comum", nomeadamente os Pensadores Contemporâneos começaram a especular sobre o porquê desta mudança na fronte de tal individualidade dos negócios e da rega. Primeiramente pensou-se que deveriam ser os negócios que este gere apenas com a sua capinha, mas logo foi posta de parte esta teoria porque Magnata do Milho começou ainda mais a usar a sua camursina de cerimónia e de eventos sociais.
Veio posteriormente que esta mudança súbita de comportamento de Magnata do Milho deve-se unica e exclusivamente a dois factores que passamos a descrever.
Primeiro porque os últimos tempos de "molho" que Mergulhador tem aproveitado ao máximo, estragou os sistemas de rega do Magnata do Milho. E segundo por causa do projecto de grande envergadura que irá ser feito para Mergulhador treinar o seu "mergulho artesiano". Este projecto como já foi dado a conhecer em primeira mão em teoria anterior, este irá afectar os negócios dos sistemas de regra de Magnata do Milho pois deixará de ter Tio Manel do Kubota como seu maior cliente.
De realçar por fim para finalizar em conclusão, uma última achega, não é recomendável o derby directo com Magnata do Milho dado o seu estado de desânimo.

sábado, 19 de novembro de 2011

A Primeira Dama

A Primeira...Dama, é toda...ela, uma "patroa"...esquisita, "tá benhe?". Ela é...deveras complicada de...perceber, "tá benhe?". Confere um alto grau de...raridade, visto que, "tá benhe?", durante as suas...aulas, entra e...sai uma data de...vezes, "tá benhe?".
Confere também um vasto...leque de conhecimentos, "perente a comunidade em comum" "tá benhe?". Isto pode ser...comprovado, "tá benhe?", por um...acontecimento, num é, que se...passou num dia destes, de...dois e onze, "tá benhe?". Mas passamemos a...descrever tal acontecimento, "ta benhe?". Foi o...seguinte, a dita "patroa" queria marcar, "o que?", uma aula, "num é?" e um...moço que não conhecemos de lado...nenhum, "tá benhe?" diz-lhe que...na semana que queria marcar...a aula, não podia haver...aulas, "tá benhe?". Mas Primeira Dama, puxa de...galões e...meias de leite, "num é?" e passa a proferir...o seguinte filete:"Não se pode o quê?". Tal...filete, deixou...a "comunidade em comum" a pensar, "num é?", que ela é...o quero...posso e...mando, "tá benhe?".
Mas o que diferencia esta..."patroa" é o seu constante parar no...tempo, "num é?", "tá benhe?".
Para Primeira...Dama, manter os "conectes" "perente a comunidade em comum" esta dispões d'um...computador, "num é?" diferente do que utiliza...para dar a...aula, "tá benhe?".
De realçar que esta..."patroa" , "num é?" é a chefa de quem? De quem? Nada mais, nada menos que...Sadam o Cangalheiro...Que "quintegorie"
Mas esta..."patroa" é uma espécie única de...ave rara, "tá benhe?"

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

O Morto Vivo: "Indeção" Mergulhador


E aí está de volta à carga Morto Vivo, desta vez nas andanças do "mergulhe artesiano". Nos últimos dias de Novembro de dois e onze, não tem sido avistada pela "comunidade em comum" tal individualidade "perente" o seu local de trabalho.
Dado que está um tempo de molho, Morto Vivo deve ter-lhe vindo ao de cima a sua veia de "mergulhador artesiano". Quando este se desloca d'um lado para o outro no seu local de trabalho, nota-se a sua queda para o mergulho, com o seu andar estilo mergulhador como ja foi referido na teoria de apresentação desta alta individualidade.
Como foi referido numas linhas mais acima, a sua ausênsia no trabalho deveu-se ao facto, segundo o que conseguimos apurar, de Morto Vivo andar a treinar o dito estilo de mergulho "perente" as poças "d'auga" que parecem lagoas nos ultimos tempos. Mas o porquê deste treino intensivo? Muito simples de explicar...
Segundo fontes segurissimas conseguimos apurar que no seu local de trabalho vai ser feita uma piscina para Morto Vivo se dedicar por completo ao "mergulho artesiano". Mas passemos a explicar projecto de semelhante envergadura. A piscina vai ser construida entre o parque de estacionamento e o campo do Tio Manel do Kubota que fica mesmo ao lado. Mas o porquê desta disposição tática da piscina? Muito simples sócio é o chamado dois em um. Morto Vivo vem no seu "boguinhas" com andamento de enconas, chega e estaciona "à moda do foge que te fodo" em modo de estacionamento artesiano, calça d'estouro as suas novas barbatanas e vai logo fazer bombas d'estouro na piscina. Ora com a "auga" que salta fora da piscina com as bombas, este rega o milho de Tio Manel do Kubota. Sendo desnecessária a ajuda dos sistemas de rega do grande Magnata do Milho.
Tal obra será também um ponto de atração turística da vizinhança dado o grande espetáculo das bombas de Morto Vivo.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

As Testemunhas de TCA e Miss Buço Dois e Onze: A Irmandade Contra-Ataca

E aí está o que se previa, a continuação desta saga. Depois do afiambramento de Miss Buço Dois e Onze a Irmandade de TCA contra-ataca.
Nesta última teoria que perfaz um bis de teorias, vamos contar acontecimentos que se forem contados ninguém acredita, só visto.
Para começar podemos dizer que em testes as Testemunhas de TCA tem um estatuto especial "perente" Miss Buço Dois e Onze. Um nível superior à ademais "comunidade em comum".
Passemos a descrever ao pormenor este estauto especial da Irmandade de TCA. A1 o Ministro dos Filetes pode receber chamadas durante o teste. Devia ser uma chamada muito urgente, algum filete que tinha que sair d'estouro e tive que atender, mas adiante...
Tony Charles o Mais Antigo deve ter ficado com uma "balente" dor de costas de tanto olhar para trás para copiar "perente" uma das suas disciplas. Aqui se vê a coesão desta Irmandade, os subditos a trabalhar para a "gestão de topo".
De realçar também que Maioral o Indiano tem o privilégio de usufruir do telemóvel para manter contacto com o exterior. Algo fantástico. E de realçar que em pleno teste este "armanda" o filete que passamos a citar: "Sua tola!". Isto vem reforçar o afiambramento a Miss Buço Dois e Onze. Para disfarçar diz que tal patela foi para Tony Charles o Mais Antigo.
No que toca a "dupla de três" A1 o Ministro dos Filetes e A3 estes começam o teste juntinhos. De admirar Miss Buço Dois e Onze ter mandado separar estes dois amores prediletos, mas também não foi assim tanto, foi só uma cadeira. Sócio também não penses que foi logo tudo à grande, um para cada lado.
Mas esta dupla além de conferenciar entre "amvos os dois" tinha logo ali na fila detrás uma dupla de seguidores prontos a auxiliar estes. De realçar que Miss Buço Dois e Onze ao mandar separar A1 e A3, "partiu a piça toda" ao Sr. Presidente que "armanda" o filete que passamos a citar: "Aindai lá desaconchegaivos".
De realçar ainda que as Testemunhas de TCA têm o tempo que quiserem para fazer este teste é o chamado descontos dos descontos. De realaçr ainda mais uma achega que já com o período de tolerância o teste teria um determinado tempo, mas para estes foi dilatado, para suas excelências que se afiambram terminar tal elemento de avaliação com toda a tranquilidade do mundo. Pensa-se que devido a este acontecimento, Tony Charles o Mais Antigo aproximou-se de Maioral o Indiano. Algo de espetacular sócio!
De realçar por fim para finalizar em conclusão que no que toca a lidar com Miss Buço Dois e Onze estes "homes" não facilitam e dominam o bisonte por completo.
É com muita pena nossa mas devido ao fim do contacto entres estas altas individualidades do afimbramento, este vai acabar. Ou não, toda a gente sabe que existe o fim-de-semana...

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Teoria da Macumba


Num dos dias de principios de fins de dois e onze lá para depois do Dia de Todos os Santos, os Pensadores Contemporâneos ouviram falar numa lenda que os tornaria "cheios de massa". Reza a dita lenda, que num calhau lá para os lados das terras do Sr. Visconde de Abade de Neive tem escondido no seu interior um tesouro em ouro. para abrir o dito calhau tem que se ler o "Livro de São Cipriano" d'estouro sem parar, depois desta leitura o calhau abre-se ao meio e pode-se ir buscar o tesouro ao seu interior. Consta também que a proteger o referido calhau está uma moura encantada com as suas cobras. No caso de tentar a moura encantada, esta "armanda" as cobras atrás de quem a tentou enganar para lhe "arrefecer o céu da boca". Para prevenir isto, os Pensadores Contemporâneos pensaram "estroncar" o penedo com umas velas de dinamite, ou ir lá o Sr. Presidente "armandar" uns farpões venenosos para "enchertar a broa" à moura e às suas cobras. Mas depressa desistiram desta ideia.
Mas não ficaram por aqui. Fizeram uma pesquisa sobre o dito livro e descobriram que serve para fazer bruxedo e rezas manhosas. Encontraram também no livro receitas sendo que duas "lhe partiram a piça toda" uma sobre como se tornar invisivel e outra contra o mau olhado.
Na receita para se tornar invisivel tem que se matar um gato preto enterra-lo com favas enfiadas em "amvas as duas" vistinhas, nos ouvidos e uma debaixo das bordas do cu do defunto, o gato preto. Depois tem que se regar todos os dias à meia-noite. Depois colhem e mete-se uma a uma na boca. A que o tornar invisivel guarda-se para quando quiser ficar invisivel. Na receita contra o mau olhado o que se sobressaiu à vistinha foi o facto da receita levar raspa de osso de morto. Eles pensaram em falar com Sadam o Cangalheiro para lhe arranjar tal material.
De realçar que isto são tudo receitas manhosas e artesianas, que só quem for nabo é que acredita.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

As Testemunhas de TCA e Miss Buço Dois e Onze: O Afiambramento

Nesta nova teoria da saga "Testemunhas de TCA" é dada a conhecer a sua veia de afiambramento com uma grande individualidade, Miss Buço Dois e Onze.
Como é tradicional na disposição táctica na sala as Testemunhas de TCA ficam sempre na linha da frente excepto nas aulas de Sadam o Cangalheiro de desmobilizam para a rectaguarda.
Mas este afiambramento com Miss Buço Dois e Onze começou com
uma troca de olhares matadores entre ela e Tony Charles o Mais Antigo e Maioral o Indiano. Num destes "téte à téte" Maioral o Indiano "armanda" o seguinte filete: "É dificil descer ao seu nível". "Cárálho" graças a este filete topo de gama nasceu uma ficha surpresa. "Que puta de marabilha sócio!".
Nestes "téte à téte" os filetes da aula ficam ali num conclô entre as Testemunhas de TCA e Miss Buço Dois e Onze. "Cárálho" que coisa tão linda. Se ademais "comunidade em comum" quiser ouvir que se foda "cárálho".
Estes acontecimentos do tempo da escola primária, deixam alguns individuos referidos em teorias anteriores indignados. D'entre estes individuos "fudidos" com este sistema "à moda do foge que te fodo" destacam-se a Srª. Dona Viscondessa e o Sr, Presidente. Tal é o seu elevado grau de "fudidos" que num dos últimos "téte à téte" estas individualidades "armandaram" tanta patela que Tony Charles o Mais Antigo olhou com umas "beiças" diga-se de passagem as que ele tem para o Sr. Presidente que se tivesse duas carabinas nas "vistinhas" "arrefecia o céu da boca" ao Sr. Presidente.
De realçar que estes derbys de afiambramente são o sonho de qualquer individuo.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Teoria do Condutor Devagar e do Enconas


Ao contrário do Condutor d'Estouro e do Fininho, o Condutor Devagar e do Encona é todo ele um segmento de condutores, e não pilotos, que pede licença para acelerar e só estorva na estrada.
São uma conferência de PPG - plano poupança de gota, com condução ultra defensiva e condução que dá sono. Por causa de uma condução praticada por um "home" deste segmento de condução o Sr. Presidente da Nassa proferiu o seguinte filete que passamos a citar: "A condução do home dá-me sono".
Mas o ponto alto deste segmento de condutores é quando um com um "boguinhas mil nobe" com cento e tal cavalos leva o "boguinhas" cheio e diz que o "boguinhas" não tem força para arrancar. Mas vamos passar a explicar o porquê deste arranco razeiro.
O "boguinhas" não arranva, não pelo facto de levar muito peso, mas pelo facto de o condutor não puxar as mudanças para além das 1500 rotações. Sócio é clarinho como o vinho tinto que se não se puxa pelo carro ele não desenvolve. Este acontecimento levou o Sr. Presidente a proferir o filete que passamos a citar: "Eu a ele dou-lhe meia hora de atraso e ainda chego primeiro".
Não é recomendável praticar uma condução d'estouro "perente" estes indivíduos, visto que, dada a sua constante levada do pé ao travão, habilita-se a "armanda-lhe" uma valente castanhada e "estroncar" o "boguinhas" sem querer.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Sadam o Cangalheiro


Sadam o Cangalheiro é todo ele um "home" coerente e imparcial. Chato e a repetir a mesma coisa, o chamado vira o disco e toca o mesmo. Dada a robustês do seu "vasilhame" este diz "perente a comunidade em comum" que leva com leitão inteiro no seu interior e que a individualidade nem sua muito.
Dado o seu estilo, calça clássica, camisinha e gravata, a "comunidade em comum" ficou a pensar qual a sua ocupação nos tempos livres. Surgiram todos e mais alguns trabalhos, passemos a enumerar alguns: taxista, cangalheiro, moina (este exclusivamente pelo seu vasilhame), entre outros.
Mas o que mais sobressaiu "perente a comunidade em comum" foi o de cangalheiro, ou seja, tem uma agência de viagens só de ida e de comercialização de "estojos de pinho".
Mas a comunidade em comum pergunta o porquê desta alta individualidade ser baptizada de Sadam o Cangalheiro, muito simples.
O nome Sadam deve-se ao facto da benta e do bigodinho desta "personage" serem quase iguais aos de Sadam Hussain que já se lhe arrefeceu o céu da boca. Cangalheiro pelo estilo de fardamento. Como diz o grande Visconde da Apúlia: "Baptizado e aí está. Agora só a morte é que come".
De realçar que o discurso de Sadam o Cangalheiro dá Nassa de sono. Para combater esta madorma a "comunidade em comum" realiza actividades lúdicas durante os seus discursos como seja, jogar uma bisquinha do nove.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Miss Buço Dois e Onze


Miss Buço Dois e Onze é toda ela uma ave rara munida de uma beleza também ela de um elevado grau de raridade. Esta beleza única levou o Sr. Presidente a "armandar" um filete e passemos a citar: "Eu não sou bonito, mas à beira dela sou um príncipe".
A começar na "bonitura" da sua benta com um sulfato na zona superior das vistinhas e com um faqueiro banhado a dourado, passando também pela cobertura com "peluge" de "amvos os dois" braços. Estes fatores aliados à sua robustês física, estilo bisarma da tropa é o sonho de qualquer "home".
Esta ave rara levou os Pensadores Contemporâneos e Rainhas da Borga a dissertar sobre o facto desta ter ou não dado uma caibrada. Logo foi obtida uma maioria a dizer que não, mas depois desta pôr em prática as suas técnicas de afiambramento dirigindo-se à "comunidade em comum" com: "Meus amores" e ter proferido e passemos a citar o filete: "Queima é queima!", estas comunidades ponderaram sobre a actividade de caibragem d'esta ave rara.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Teoria do Condutor d'Estouro e do Fininho - Parte V

Estava previsto o lançamento da Teoria "Miss Buço Dois e Onze" mas devido a um acontecimento extraordinário fomos obrigados a publicar a teoria que perfaz um bis de bis com outra teoria a cavalo da famosa saga "Teoria do Condutor d'Estouro e do Fininho". Este magnífico título desta saga deveu-se às grandiosas festividades de despedida da viatura do Sr. Presidente que foi substituida. Para festajar no primeiro dia foram sacados travões de mão com a pilotagem do proprietário da viatura e co-pilotagem do Sr. Presidente da Nassa e do padrinho deste o Sr. Visconde de Abade de Neive. De realçar que o travão de mão foi de tal forma puxado e apertado que deixou quase meio quilo de pneu no chão. O Sr. Presidente da Nassa até colou as vistinhas numa segunda passagem pelo local para apreciar a travagem e respectivo colamento de pneu ao piso.
No segundo dia de festevidades, o Sr. Presidente colocou a sua viatura à disposição para sacarem travões de mão, sendo efectuado um pela Srª. Dona Viscondessa. Diga-se de passagem bem puxado. No seguimento desta condução d'estouro a Srª. Dona Viscondessa faz uma alta travagem para evitar o "batimento" com outra viatura idêntica à do Sr. Visconde de Abade de Neive, ficando o público das emediações com cara de "banana" a olhar para a manobra. Depois foi pilotada pela Marquiduquesa das Rainhas da Borga e para finalizar um travão de mão para brindar todas estas individualidade efectuado pelo Sr. Presidente.
O seguimento desta saga pode estar findo, visto que, o Sr. Presidente para salvaguarda a sua nova viatura deixará de sacar travões de mão e de sacar fininhos. Mas horas depois já prometia sacar dois travões de mão no seu novo "boguinhas".

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

2º Congresso da Presidência do Blog

Na grande reabertura da época de "dois e onze" do blog deu-se o 2º Congresso da Presidência do Blog Teorias. A ordem dos trabalhos teve como principais pontos, o afiamento da língua, jogar umas cartadas, rever os estatutos e revisão de cargos da presidência.
Neste 2º congresso foi deliberado em "píbeda" que seriam atribuidas insígnias tipo da Rámona aos membros da presidência sob a forma de galões, meias de leite e pingos. Ao Sr. Presidente foi-lhe atribuidos a "Viúva" e o "Picinhas", ao Sr. Vice-Presidente a "Viúva", ao Sr. Secretário-Geral o "Picinhas" e ao Sr. Secretário-Geral Adjunto o "Grilinhas" de Ouros.
Foram também revistos os cargos, sendo promovido a Secretário-Geral o 1º Conselheiro, sendo o antigo Secretário-Geral despromovido a Secretário-Geral Adjunto. A este foi-lhe comunicada a despromoção "cornos nos cornos". Isto deveu-se ao facto do 1º Conselheiro ter estado em grande plano contribuindo de corpo e alma para o blog.
Foram ainda discutidas ideias que ficaram em "stand by" à espera de carta branca para avançar. Sendo as seguintes, criação de títulos honorificos para os memrbos do blog, mandar bordar o emblema do blog para uso no traje académico e criação de uma Real Confraria conjuntamente em comum com as Rainhas da Borga, ambas as duas comunidades irmãs.
Por fim, para finalizar, em conclusão, este 2º Congresso foi realizado para fazer face às actividade das Testemunhas de TCA.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

O Morto Vivo

O Morto vivo é todo ele uma "persona" comparável com A3 das Testemunhas de TCA. "Amvos os dois" andam numa constante madorma independentemente do tempo ou da hora do dia. Morto vivo é um especialista em estacionamentos "à moda do foge que te fodo", deixando sempre o seu boguinhas em modo de estacionamento artesiano, ou seja, mal estacionado.
A destacar o seu andamento estilo mergulhador. Isto não por ele perceber alguma coisa da "poda" mas pelo facto da maneira de ao puxar andamento de morto vivo colocar os pés com a parte interior ao para a frente, parecendo que anda de barbatanas.
Muitas vezes esta alta individualidade é apelidade pela "comunidade em comum" de Michael Jackson".
Mas esta espécie de ave rara deve ter um sangue especial, ou qualquer coisa, tipo sangue morno, nem é frio, nem é quente, visto que por vezes está em locais onde corre guizas frias e "home" está de camisa de meia manga enfiada por dentro das suas calças, à patrão. Tem também uma forma pouco ortodoxa de falar, visto que, dificilmente se ouve falar. De realçar que a única vez que os Pensadores Comtemprâneos ouviram esta ave rara falar foi para mandar vir por o Sr. Presidente ter as "bordas do cu" alapadas nas barras de aqueciemento.
Por último não podemos deixar de referir a veia de biscateiro d'este "home", demorou um dia para aparafusar duas ou três televisões na parede, um trabalho deveras duro e complicado.

sábado, 17 de setembro de 2011

Técnicas Panisgas de Afiambramento

Na curta passagem pelo "estrangeiro" pelas terras do Algarve, os Pensadores Contemporâneos e as Rainhas da Borga observaram uma "dupla de três" de panisgas "english men". "Amvos os dois" com estilo de panisga inconfundiveis trocavam olhares de quem quer "pegar de marcha atrás".
Um dos indivíduos fazia o outro ficar "com o mastro ao alto" com os seus calções laranja flurescente para dar nas vistas à noite que por sua vez condizia na perfeição com a sua bóia. Passemos agora a contar alguns acontecimentos de panisguice.
Na zona envolvente da piscina um dos indivíduos deitava-se de "papo para o ar" abrindo as pernas e respectivas "bordas do cu" para ver o seu amor deitado na bóia dentro da piscina com o "atirador de farpões" para o ar. Quase de certeza que quando este panisga "armandava um farpão" o outro dizia a mostrar o faqueiro: "Oh mor, que cheiro a cu!".
Outro acontecimento panisga aconteceu durante uma noite de música ao vivo em que "amvos os dois" assistiam todos empolgados ao conserto. Quase de certeza que nessa noite houve "actividades de caibragem" no seu apartamento. De realçar que os panisgas são um seguemento de "homes" que só utiliza as "beiças do cu" para dar caibradas.
Mas acontecimento que confirmou a teoria dos indivíduos serem panisgas foi um dos indivíduos ter um alto chupão nas costas feito pelo outro panisga.
Por fim, para finalizar em conclusão, podemos concluir que estes panisgas são uma espécie única de ave rara.

domingo, 24 de julho de 2011

Técnica da Ilusão do Avançado


Num lindo dia de Verão, a comunidade Pensadores/Rainhas da Borga foram para praia prós lados de Esposende, pa molhar os pés na "auga" do mar e para ficar na "posição de camarão tigre" a morenar a moleirinha e as restantes peles do corpo. Dada a constante ventania e consequente "enchimento das covas" com areia sem querer e colagem da areia no "faqueiro" o Sr. Visconde de Abade de Neive, o Sr. Presidente da Nassa, neste caso no seu terreno e o Sr. Presidente fizeram um derby de futebol. Ambas as duas primeiras "personages" eram atacantes e a última a que perfaz um hatrick de "personages" defendia a grande baliza feita com dois calhaus ao alto.
Numa primeira vaga de jogo limitaram-se a fazer jogadas diga-se de passagem "à Barça", a trocar a bolinha e marcaram um considerável número de golos, sendo que também foram dados alguns "golpes de rins por parte da entidade interveniente entre os "postes".
Numa segunda vaga já depois de terem ido lavar "as bordas do cu na auga" do mar e depois de terem "enchido as brocas" estes individuos atacantes fazem uma sessão de remates estilo "penaltys". Logo no primeiro remate o Sr. Presidente com o vento que se fazia sentir no seu sentido e com o constante levantamento de areia no ar, "mama um valente frango", sendo que se atira para um lado e "mama" a bola por cima do "vasilhame". Depois deste remate as outras individualidades confiaram-se que o guardião era "foleiro" mas enganaram-se. Seguiu-se uma saga de defesas apertadas, com grandes estiradas no ar. Passando a citar o Sr. Presidente da Nassa: "Que puta de defesa sócio".
Com o decorrer dos remates que "íam para a TOR" ou altas defesas, os avançados começaram a dizer que valia recarga nos remates que fossem para a frente. Aí começaram a "armandar castanhadas" para queimar as mãos do guarda-redes, e foi descoberta a "veia de caxineiro do Sr. Visconde de Abade de Neive", visto que fazia entradas à Paulinho Santos, com tudo. Sendo que no seguimento destas tentativas de "castanhadas" nas pernas o Sr. Presidente profere a frase: "Sócio bota a modo que o carro é novo".
Dada a constante derrota avançados que anteriormente faziam "jogada à Barça" desistiram indo novamente todas as "personages" para posição de camarão tigre".

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Teoria do Condutor d'Estouro e do Fininho - Parte IV

E é com uma despedida em grande, que o Sr. Presidente e o Sr. Visconde de Abade de Neive encerraram mais uma época alucionante na condução d'estouro e do fininho. Nesta quarta e última teoria, ou seja, a que prefaz um poker, contamos alguns dos momentos "best of" da pilotagem desta temporada.
Tudo começou quando o Sr. Presidente acompanhado do Sr. Presidente da Nassa fez uma tentativa falhada de "sacar travão de mão", numa manhã de um lindo chuvoso dia de Primavera. Depois outro momento "best of" foi o alto picanço entre o Sr. Visconde de Abade de Neive, na posição de "carro zero" e o Sr. Presidente por "caminhos de vacas".
Mas a derradeira semana em que estas individualidades "tiraram a carta de piloto" foi na semana em conheceram a sua veia de "biscateiro". Nas deslocações fizeram altos picanços e até foi feito um "golpe de rins" por parte do Sr. Presidente que entrou a carbonar numa curva um pouco fechada com o piso molhado e o carro derrapa, mas consegue segura-lo com umas guinadelas acertadas, evitando o seu "estroncamento" contra a parede.
Outro momento "best of" foi uma sessão de travões de mão e um individuo que visualizava a cena ameaça chamar a "Rámona". Facto que aconteceu uns dias depois, com a deslocação ao local de um carro da "Rámona" andando no parque de estacionamento a "cocar" a ver se encontrava as individualidades das manobras ditas perigosas.
Mas o momento "best of, best of" foi o "Franqueira Pikes Peak Downhill" com uma descida alucionante a alta velocidade pelo "Monte da Franqueira" abaixo, algo que deixou as Rainhas da Borga quase sem folego.
Por fim deu-se o encerramento da temporada com uma despedida em grande como sempre.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Ilusão do Milagre da Transfiguração


Podemos começar por dizer que o Milagre da Transfiguração é um fenómeno raro, podendo mesmo ser considerado um feito que acontece uma vez na vida.
Mas este acontecimento tal como o nome indica é mesmo um milagre. Um exemplo disso é o Sr. Presidente deste blog e o Sr. Visconde de Abade de Neive. O primeiro individuo num semestre fiz seis disciplinas num leque de sete possiveis, só não fiz o pleno, porque uma delas era Matemática, e a passando a citar a personalidade: "Percebe tanto daquilo, como de motrizadas", ou seja, não percebe "a ponta d'um corno". O Sr. Visconde de Abade de Neive também teve um fantástico desempenho completando todas as disciplinas excepto matemática.
Mas isto relativamente ao Sr. Presidente foi fogo de vistas, houve muita cana no ar. Com o decorrer do segundo semestre, dada a situação de aquecimento climatérico e consequente "Nassa de preguiça", acompanhado com o elavado número de tainadas em que participou, este teve um comportamento inverso ao semestre anterior, ou seja, passou de 6 cadeiras feitas e uma por fazer para uma feita e seis para fazer em recurso. De realçar que ele quis fazer as cadeiras todas, os professores é que não quiseram. De realçar que deve ter havido muitas "maroscas" nas correções de certas e determinadas disciplinas.
Mas de realçar a proeza de ter seis recurso para fazer no mesmo semestre, algo espectacular.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Código das Testemunhas de TCA


Dada a "grandiosidade" desta Irmandade fomos obrigados a lançar mais uma teoria sobre as suas actividade manhosas. Depois de no último "Magnum Cuncilium de TCA" serem revistos os estatutos da Irmandade, agora em "Concilio Extraordinário" foi aprovado um código das Testemunahs de TCA.
Este código confere a cada membro da Irmandade um Sinal de Trânsito, ou seja, as suas insígnias pessoais.
Passemos a relatar o sinal atribuido a cada um e o porquê desta atribuição.
Comecemos pela "Gestão de Topo", o Mais Antigo. Dado o seu afastamento na direcção executiva da "máquina administrativa" da Irmandade de TCA, passando a membro honorário, foram-lhe atribuidas insígnias tipo da Rámona, sendo estas usadas nos ombros em forma de galões, meias de leite, pingo e descafeínados, e na zona imediatamente superior ao "vasilhame" sob a forma de medalhas, medalhões de pescada, postas de pescada, filetes.
Ao Maioral, dado o seu alto cargo na chefia, não lhe foi atribuído um sinal de trânsito,mas, sim um semáforo vermelho, isto, não por ele ser mais importante que os outros, mas por cada vez que fala só "diz merda pela boca fora" e "armanda" piadas secas, mas tão secas, que tem mais piada a cena triste que ele faz a contar a piada que a própria piada em si.
A A1, o Ministro dos Filetes, tal como o seu nome indica, foi-lhe atribuido o sinal A1 que correspondem às curvas. Esta atribuição deve-se ao facto de ele não saber se vai para a direita para o CDS ou para a esquerda para o Bloco de Esquerda para fumar uns "tiros". A dada altura vira trailarila, dando o "cu a beijar" à esquerda mas vai é "mamar" na direita e vice-versa.
A A2, a aquisição de inverno, foi-lhe atribuido tal como o seu nome indica os sinais A2 que correspondem as sinais de lomba e depressão. E a "comunidade em comum" pergunta, o porquê desta atribuição? Muito simples sócio! O "home" fica muitas vezes nervoso, porque apanhou uma "arage d'um farpão venenoso" e este fudeu-lhe a moleirinha toda por dentro, ficando com lombas e depressões.
A A3 a desgraça do costume. Foi-lhe atribuido o sinal A3 que corresponde a descida perigosa. Isto deve-se ao facto del ele ser um morto vivo, e ao descer uma descida acentuada muito devagar travou a fundo, "sacando égua" e indo com os "beiços" direitinho ao chão que não tive culpa nenhuma, fudendo os ditos "beiços", andando posteriormente com eles sulfatados com um sulfato especial. A cor do sulfato leva a pensar que A3 anda em "actividade de tocamento de gaita com os beiços". No período em que anda com os "beiços fudidos" é lhe atribuido um segundo sinal o de Obras.
E assim é reforçado o estatuto de nabo dos membros da Irmandade de TCA, com este "Concilio Extraordinário".

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Ingresso na realeza do Sr. Presidente da Nassa


E com uma tainada lá pros lados da Póvoa assinala-se a aquisição de mais um cargo do 1º Conselheiro. Passemos a citar o seu palmarés que até é maior que o de A1 das Testemunhas de TCA. Ora, 1º Conselheiro, Presidente da Nassa, Escravo (até à promoção) e agora Tubarão, uma espécie de Barão mas mais evoluido. Tá ali entre o Barão e o Visconde.
Esta promoção foi efectuada por entidades competente, ou seja, Visconde de Abade de Neive, Viscondessa de Esporões, Marquiduquesa e Duque.
Como é natural em eventos desta envergadura acontecem sempre falhas. Inicialmente a tainada era para ser num local mas que por motivos de falhas técnicas nos assadores teve que ser mobilizada para os lados da Póvoa.
Como é de costume tem que haver sempre manobras de rodilhão nos "boguinhas". Numa primeira deslocação do Sr. Presidente que acumula o cargo de Duque, acompanhado do seu co-piloto habitual o Sr. Presidente da Nasa, faz alto fininho, chamada tangente, onde passam as "orelhas do boguinhas" e pouco mais, pra não dizer quase nada, a "estonar" e de realçar que este local tem muros de ambos os dois lados e confere uma curvatura ao meio. Depois para fazer uma inversão de marcha "armanda" uma redução d'estouro seguida d'uma guinadela e "fode" logo ali meio quilo de pneu. Uma "patroa" que estava nas imediações até colou as "vistinhas". Na viagem de ida tudo tranquilo. Na "taina" também tudo tranquilo, tirando a parte do Sr. Presidente da Nassa estar sempre a "moer" e a "malhar nas bejecas".
A determinado momento a Marquiduquesa lembra-se de ir comprar tabaco. Pergunta e dizem-lhe que o café ficava a um minuto de distância. De realçar que esta viagem transformou-se numa viagem de meia hora. De referir que nesta viagem, o Sr. Presidente deu umas ideias ao Sr. Visconde de Abade de Neive para umas manobras erótico badalhocas.
De realçar que no regresso houveram altas manobras para o lado do perigoso efetuadas pelo "mil dois" do Sr. Presidente, neste caso considerado o carro da "realeza", visto que, só se encontravam a bordo altas individualidades da realeza. De realçar ainda que este "mil dois" faz prodígios, "deu coça" a um "mil nobe". Depois de ultrapassar o "mil nobe", uma viatura de transporte de mercadorias pesada e outros "boguinhas", este nunca mais viu sinais do "mil nobe" que ficou para trás.
De realçar outra vez ainda que irá ficar para a posterioridade a frase proferida pelo Sr. Presidente. Passemos a citar: "A grila fudeu a grila ao grilo com o grelo".
Por fim para finalizar em conclusão, podemos dizer que este foi mais um evento de alto gabarito.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Teorias Vida Selvagem

Num dos últimos dias os Pensadores e as Rainhas da Borga foram numa viagem à descoberta da vida selvagem. Na viagem de deslocação ao primeiro local de exploração, passam pela Rámona e o Sr. Visconde de Abade de Neive cumprimenta os ditos Moinas que estavam a resolver o estouro d'um moço. No primeiro local tudo tranquilo, nada de especial, rio, muita "auga" e nada de mais.
No segundo local já houve grandes alaridos, coisa desnecessária diga-se de passagem. Tudo aconteceu porque na descida para o local o Sr. Presidente grita, "uma cobra" e a Marquiduquesa das Rainhas da Borga entra em pânico, podendo mesmo dizer-se "que não lhe cabia um feijão miúdo no cu". Mas isto foi falso alarme, visto que, no trajecto o que se encontrava no chão não era uma cobra, mas sim, um gano seco.
Este local era muito gracioso, bonito, resumindo e concluindo estavamos na capital. Mas no rio existia uma espécie de açude que permitia a circulação de individuos, mas numa parte não dava para passar. O Sr. Visconde de Abade de Neive, usando do seu dom da palavra, desloca-se junto de um grupo de individuos que estava à pesca do gambozino, naquelas águas, em que deviam pescar tudo menos peixe e pergunta se havia forma de atravessar para a outra margem. De realçar que neste local foi descoberta a veia de "azeiteiro" do Sr. Visconde de Abade de Neive, visto que, pôs o "boguinhas a escrever" na terra e levantou uma poeirada no ar que nem se via "a ponta d'um corno".
Na outra margem tudo muito bonito e coiso, mas a longa caminhada de 3 minutos e troca o passo, voltou a por a Marquiduquesa de rodilhão. A Srª. Viscondessa pergunta se está muito bem com o grupo que vinha mais atrás, composto pela Marquiduquesa, o 1º Conselheiro e o Sr. Presidente. Ao ouvir o grito o Sr. Presidente responde com outro grito, deixando novamente a Marquiduquesa das Rainhas da Borga "desconchavada".
Durante esta visita nas entranhas da vida selvagem, foram descobertas espécies de aves raras, nomeadamente os indivuos que realizam este "Safári" "perente" as terras do Cávado, lá pros lados de Barcelos.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Teoria do Condutor d'Estouro e do Fininho - Parte III


E ai está, um hatrick nesta saga fantástica...
O Sr. Presidente e o Sr. Visconde de Abade de Neive voltam em alta com as suas façanhas de pilotagem.
Foi mais uma sessão de "picanços" a sacar "handbrake". Desta vez contaram com grandes co-pilotos. O Sr. Presidente contava com a co-pilotagem do Sr. 1º Secretário que no caso não estava de serviço na Nassa e o Sr. Visconde como é habitual ultimamente com a co-pilotagem da Srª Dona Viscondessa, que por sua vez demonstrou a sua veia de piloto, pilotando um "mil nobe" com toda a "quintegoria" "chegando calor" "à patrão", neste caso "à patroa".
Mas desta vez de realçar o facto de este acontecimento ter sido registado em vídeo, mas que por individuos terceiros que visualizavam as manobras terem ameaçado chamar a Rámona, as melhores manobras não ficaram registadas para a posterioridade.
De realçar que estas manobras são um relaxante para estas individualidades. Já em momentos anteriores tais individualidades socorrem-se deste calmante resultando em pleno.
Mas posteriormente a este acontecimento de "estonamento", o Sr. Presidente conduziu duas viaturas "mil nobe".
De realçar que ia a "estonar" em plena cidade e uma individua, que ele não conhecia de lado nenhum, ia atravessar a passadeira. O Sr. Presidente encontrava-se ainda a mais de 50 metros da passadeira e a dita "patroa" entra na passadeira mas faz logo "marcha à ré" para o passeio. Mas como tal individualidade é coerente e imparcial parou a viatura em segurança e deixa a "patroa" atravessar a rua com toda a tranquilidade e segurança do mundo.
De realçar que estes acontecimentos têm sempre um "piquinho" de adrenalina, mas sócio, tudo controladíssimo.

Teoria do Condutor d'Estouro e do Fininho - Parte III

E ai está, um hatrick nesta saga fantástica...
O Sr. Presidente e o Sr. Visconde de Abade de Neive voltam em alta com as suas façanhas de pilotagem.
Foi mais uma sessão de "picanços" a sacar "handbrake". Desta vez contaram com grandes co-pilotos. O Sr. Presidente contava com a co-pilotagem do Sr. 1º Secretário que no caso não estava de serviço na Nassa e o Sr. Visconde como é habitual ultimamente com a co-pilotagem da Srª Dona Viscondessa, que por sua vez demonstrou a sua veia de piloto, pilotando um "mil nobe" com toda a "quintegoria" "chegando calor" "à patrão", neste caso "à patroa".
Mas desta vez de realçar o facto de este acontecimento ter sido registado em vídeo, mas que por individuos terceiros que visualizavam as manobras terem ameaçado chamar a Rámona, as melhores manobras não ficaram registadas para a posterioridade.
De realçar que estas manobras são um relaxante para estas individualidades. Já em momentos anteriores tais individualidades socorrem-se deste calmante resultando em pleno.
Mas posteriormente a este acontecimento de "estonamento", o Sr. Presidente conduziu duas viaturas "mil nobe".
De realçar que ia a "estonar" em plena cidade e uma individua, que ele não conhecia de lado nenhum, ia atravessar a passadeira. O Sr. Presidente encontrava-se ainda a mais de 50 metros da passadeira e a dita "patroa" entra na passadeira mas faz logo "marcha à ré" para o passeio. Mas como tal individualidade é coerente e imparcial parou a viatura em segurança e deixa a "patroa" atravessar a rua com toda a tranquilidade e segurança do mundo.
De realçar que estes acontecimentos têm sempre um "piquinho" de adrenalina, mas sócio, tudo controladíssimo.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Teoria da Pilotagem em Terreno Desconhecido


Num dia destes que passou os Pensadores foram em digressão a terreno desconhecido para si com as Rainhas da Borga que por sua vez conheciam perfeitamente o traçado rodoviário da zona em questão. Como é de costume, ou vai o Sr. Presidente ou o Sr. Visconde no comando da viatura, neste caso ia o Sr. Presidente.
Antes do arranque rumo ao desconhecido Sua Excelência o Sr. Presidente foi fazer um aquecimento. Foi estonar para caminho "semi de vacas" e no fim para finalizar em conclusão sacou um travão de mão com o piso molhado. Deu umas guinadelas pra um lado e para o outro e tudo controladíssimo.
Mas adiente. Pelo caminho rumo ao local da digressão o Sr. Presidente limitou-se a acelerar, travar, fazer reduções e disfrutar a paisagem visto que ia uma individuo a controlar a "rosca" da viatura. De realçar o fantástico golpe de vista do Sr. Presidente, conseguiu distinguir ao longe um "home" da Rámona pela sua "mitra" enfiada nas "gaitas".
Dada a fraca condição física do "piloto" este teve que reabastecer o seu "vasilhame" em casa de uma das Rainhas da Borga.
Já ainda mais entranhado em território desconhecido, foi obrigado a trocar de co-piloto. Depois dado o seu nervosismo por causa de um grande jogo de futebol e por se encontrar no território do "inimigo" este teve uma condução semi-agressiva e de bosta de merda. Para começar teve logo grandes desentendimentos com o co-piloto. O co-piloto insistia em dizer quando se tinha que vir à direita em dizer vira para cima. Geralmente nunca obedecia e ia noutro sentido qualquer. Foi sorte não andar em contra mão. Depois um engenheiro enfia-se na frente da sua viatura assim do nada. Para meter nojo o Sr. Presidente eencostou tudo e fiz alto fino para intimidar o dito engenheiro. Outro erro frequente era o co-piloto dizer para sair por exemplo na segunda e não contar uma das saídas da rotunda. Depois outro engenheiro com um gipe muito parecido ao da Rámona também intimidou a pilotagem.
No regresso à base, já com o co-piloto habitual e com carta branca para "chegar calor" veio sempre tranquilo tirando os "retões" e rotundas que para poupar pneus fazia em contra mão para dar mais jeito. As curvas eram todas feitas a cortar para melhor serem feitas. De realçar que ouve uma rotunda que foi efectuada numa média horária de 110 a 120 km/h.
De realçar que foi muito produitva esta pilotagem por terras do desconhecido.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Franqueira Pikes Peak


Depois da descoberta da veia de piloto de sua Excelência o Sr. Presidente e sua Excelência o Sr. Visconde de Abade do Neive, estes dedicaram-se ao Hill Climb. Tudo tranquilo, mas estas altas individualidades que passaram ao lado de uma grande carreira de piloto entre outras tantas quantas, tiveram a magnifica ideia de levar a bordo individuas que se auto intitulam possuidoras de uma linguagem cuidada, mas que aprenderam a linguagem de campónios com campónios segundo elas e agora não querem mais nada. De realçar que também integrava a equipa um funcionário da nassa.
Na subida para o local do "picanço" ía tudo tranquilo sendo a subida realizada em terceira. Ao começar a descer do cimo do monte tudo tranquilo. De repente a viatura do Sr. Presidente recebe uma chamada da co-piloto do Sr. Visconde, e passamos a citar: "Agora anda apanhar-me". O Sr. Visconde começa a "chegar calor" no seu "boguinhas". Como o Sr. Presidente não é "home" de se deixar ficar chegou também. Começam a fazer tudo "picadinhos". Entravam nas curva a estonar praí em 4ª. Mas de realçar que as curvas eram de veras intimidatórias e nada pouco pro fechado. Como o "boguinhas" do Sr. Presidente tem pouco "tiro" este entrava d'estouro nas curvas colando-se na traseira da viatura do Sr. Visconde de Abade de Neive. Numa altura este apercebe-se e crava uma redução pra segunda, "esticando" bem as mudanças. De realçar que a descida deve ter sido feita numa média dos 80, 90, 100km/h. Numa última curva bastante fechada estas individualidades tem a ideia de entrar a rasgar e travar só a meio da curva. Ao sair da curva saíram quase a bater no rail de protecção da via do sentido oposto. O Sr. Presidente até sacou um mini fininho a um individuo que se deslocava no sentido oposto numa "ginga".
Mas o melhor deste Hill Climb Downhill, foi a mais ou menos meio da viagem uma das individuas atrás referidas pedir ao Sr. Presidente para abandonar a viatura, visto que, não teve folgo para aguentar a condução a alta velocidade destas altas individualidades da pilotagem.

domingo, 1 de maio de 2011

1º Congresso de Campo Inter Concorrencial

Numa semana de fins de Abril decorreu o 1º Congresso de Campo Inter Concorrencial de Pensadores Contemporâneos e Rainhas da Borga. Tal acontecimento foi algo de fora do anormal. Tal Congresso foi marcado por pontos altos passando a recitar: descoberta da veia erótico badalhoca de Sua Excelência o Sr. Presidente do Blog, transporte de funcionários da Nassa, comezaina, porrada entre funcionários da Nassa, demonstrações de pesca, saída de rodilhão de uma alta individualidade da respectiva viatura de transporte, concurso de "farpões", porrada entre "patroas", o desparar do piloto automático, o sulfatamento das bentas e das beiças, primeira noite do Congresso e condução à moda do foge que te fodo.
Passemos a descrever ao promenor tais ilustres momentos destas festividades. Comecemos pela veia erótico badalhoca de Sua Excelência o Sr. Presidente do Blog. Durante estes congresso esta individualidade cantou versões erótico badalhocas de musicas tais como, Minha Casinha dos Xutos & Pontapés, O meu carocha, Meninas da Ribeira do Sado, etc.
Passando agora pelo transporte dos funcionários da Nassa. Como já foi referido em Teoria anterior, estes indivíduos estando de serviço são muito instáveis, andando sempre de rodilhão. Estes individuos no seu auge de "personage" são algo de espectacular, entrando num sub-mundo só deles. O seu catalizador tem um canal no qual são debitados grande número de "penaltys". Depois o cabo dos diabos é efectuar o seu transporte até ao respectivo domicílio. Neste Congresso um destes funcionários foi levado tipo "saco de batatas" às costas.
Ao contrário do 1º Congresso da Presidência neste ouve alta comezaina "perente" a comunidade em comum. A Presidência puxou de galões, abrindo os cordões à bolsa.
Mas voltando à "vaca fria", isto é, ou seja, aos funcionários da Nassa. Dois destes indivíduos andaram uma noite toda a "abanar o capacete" de rodilhão mas a determinado momento o excesso de pinga por metro de veia quadrada causou desiquilibrio e consequente "lavranço". Esta queda quase provocou a "queda de molho" entre estes parceiros do ofício. Tal não aconteceu devido à rápida actuação das entidades competentes pela segurança dos respectivos funcionários.
Mas um dos momentos mais altos, daqueles que quase batem no tecto, foi uma demonstração de pesca por um convidado especial. Dada a qualidade do preciosismo técnico, este convidado nem precisou de uma cana de pesca para a demonstração. Mas passemos a descrever. Primeiro o indivído coloca o chumbo e a isca no anzol, dá umas voltas de rodilhão no ar, "armanda" a linha pelo ar. Nesta demonstração o indivído afirma ter pescado um tubarão dado ter luta ao puxar linha.
Outro momento "best of" do programa de festas foi uma saída de rodilhão de Sua Excelência o Sr. Presidente do Blog da viatura de transporte. Ele já ia com as "vistinhas" coladas e quando vê o seu piloto o Sr. Visconde de Abade do Neive que por sua vez é o Vice Presidente do Blog "meter gota" no seu "boguinhas" passando a mangueira por cima do respectivo ficou traumatizado e adormece. Quando chega ao local de desembarque a Srª. Viscondessa abre a porta e Sua Excelência o Sr. Presidente sai d'estouro e dá um salto ficando a "bufar" com falta de ar colocando as mãos sobre os joelhos e com o atirador de farpões a mirar os céus azuis de uma manhã de primavera.
Mas é claro que nestas festividades nunca pode faltar o fogo. Foram atiradas salvas de farpões e Katyushas.
Voltando à "queda de molho". Neste acontecimento não faltou. Desta vez foram duas "patroas" que andaram de rodilhão. A porrada pelo que se conseguiu apurar, deveu-se ao facto de uma "patroa" ter mandado outra "patroa" beber água. Desta instabilidade emocional resultou um selo branco nas "bentas" de uma das "patroas".
Como é de saber, nestes eventos de alto calibre nunca pode faltar uma condução d'estouro. Seguiam na viatura o Sr, Visconde a pilotar, a Srª. Dona Viscondessa a co-pilotar, dado que o co-piloto permanente ia no banco traseiro de molho não podendo cantar as coordenas, e um funcionário da Nassa. Depois de um picanço o piloto "arreta" d'estouro e esquece-se de virar à esquerda. Tal acontecimento levou ao pronto disparo do piloto automático avisando a falha técnica de percurso. De realçar que este piloto automático é o funcionário da Nassa.
Também realçar que o sulfatamento das "bentas" e dos "beiços" de uma das Rainhas da Borga deve ser começado no dia anterior para estar pronta a tempo e horas.
Por último não podemos deixar de refir que o fecho do 1º Congresso de Campo Inter Concorrencial terminou com grandes reforços da Nassa. Passando a sitar, Rainhas da Borga, Sua Excelência o Sr. Presidente e o Sr. Visconde de Abade do Neive. Os funcionários que integravam já o corpo activo da Nassa, estavam sempre a proferir frases como: "Tu vé à pute que te parri, tá bô?" ou "Ao carralhô" ou ainda "Toucinho" sendo esta frase prferida apenas quando colocavam duas palhetas nas orelhas estilo intercomonicador da Rámona.
Na primeira noite do Congresso houve um vasto leque de acontecimentos. Passemos a descrevê-los. Primeiro vamos falar de sua Excelência o Sr. Presidente que esteve em grande ao dormir na posição de morto, de barriga para cima, com as pernas e os braço cruzados. Depois deste acontecimento dois individuos fizeram, por volta das 3 horas da matina, um ataque aos rissóis sem carne e de legumes que sobraram do jantar do dia anterior. Para finalizar em beleza contaram-se histórias sobre espiritos e histórias de terror. De realçar que as "bragastadas" de vento que batiam nas árvores ao lado convidavam a este tipo de histórias.
Mas como podemos verificar este Congresso foi um sucesso no que toca à veia de "personage" de Sua Excelência o Sr. Presidente. Durante uma viagem de viatura automóvel em que este ia a "pilotar" aconteceu algo estranho nunca antes visto. Mas passemos a descrever ao promenor. Iam tranquilamente num "retão" mas dado o cansaço acumulado, o Sr. Presidente tem a magnifica ideia de por em descanço o pé direito e foi a conduzir só com o esquerdo. Num determinado momento ele queria fazer uma redução e carrega a fundo no travão a pensar que estava a carregar na embraiagem. O carro "amuchou" logo. Foi a chamada redução de quinta para deixar o carro ir a baixo. Para melhor descrever o acontecimento passemos a citar um funcionário da Nassa que ia a bordo: "Ia encostado ao banco e quase que bati com as beiças no banco da frente". Foi uma manobra fantástica, ou não.
Por fim, para finalizar em conclusão, não podemos deixar de referir que este Congresso foi um sucesso.